Ninho de Escritores, um mês depois

Ontem foi o quinto encontro do Ninho de Escritores e um atestado de que estou fazendo algo de certo na vida. Os medos que eu tinha – entre eles o maior era o de não ser bom o suficiente para conduzir uma oficina de escrita – se tornaram pequeninos. Isso aconteceu porque, seguindo os princípios para uma educação feminista, eu me coloco em uma posição de paridade com os demais participantes.

Eu não sou professor, sou algo diferente disso. Sou o idealizador e o responsável pela organização e manutenção do Ninho de Escritores. Mas a responsabilidade é compartilhada: sem a participação dos integrantes, não há Ninho de Escritores. Isso é verdadeiro porque o Ninho de Escritores é mais do que um conjunto de teorias, técnicas e exercícios a serem aplicados indistintamente. O Ninho de Escritores é um curso de escrita que foca na pessoa que escreve.

O Ninho de Escritores não é para todo mundo. Comecei com medo de desagradar e até com receio de dizer a algumas pessoas que o Ninho de Escritores as desapontaria. Hoje tenho mais clareza sobre isso. Há quem busque coisas que o Ninho de Escritores se recusa a oferecer: conteúdos fáceis, práticas certeiras da escrita, retornos rápidos. Porém, o Ninho de Escritores é o lugar certo para quem busca contato, afeto, acolhimento, motivação e, junto a tudo isso, teorias, técnicas e exercícios.

O Ninho de Escritores é um projeto inclusivo, mas a inclusão termina no ponto em que exista o risco de se tornar algo que não é. Há muitos cursos e oficinas tradicionais cobrando valores de baratos a caros por aí. O diferencial do Ninho de Escritores não é ser barato, mas sim ser focado no encontro de sujeitos que escrevem. O encontro é o mais importante.

Não há cobrança no Ninho de Escritores. Acredito que a responsabilidade de participar e sustentar o Ninho de Escritores, em termos de finanças e de funcionamento, é de todos. No primeiro encontro, indiquei que a única consequência da não participação e da não contribuição econômica seria a dissolução do grupo. Nada mais. O Ninho de Escritores não prepara pro vestibular, não dá créditos para faculdade, não aumenta salário no emprego. O Ninho de Escritores é sustentado porque as pessoas acreditam que vale a pena.

Um mês depois do primeiro encontro, sei algumas coisas com mais confiança do que sabia antes. A maior delas é: estou fazendo algo de certo na vida. Hoje, o que mais faz sentido profissionalmente é garantir o crescimento do Ninho de Escritores.

Para isso, preciso da ajuda de quem acredita comigo no projeto. Os planos de crescimento são muitos, mas quero desenvolvê-los com segurança e respeito a todos os envolvidos. No momento, peço a quem quiser e puder que fale sobre o Ninho de Escritores com pessoas que poderiam gostar de conhecer o projeto. Somente isso: falar sobre o Ninho de Escritores, conversar sobre ele comigo ou com outras pessoas. Só fará sentido o Ninho de Escritores crescer ainda mais se for com a ajuda de gente querida.

O Ninho de Escritores pode ser encontrado em seu site (no qual estou trabalhando para acolher pessoas de fora de São Paulo) e também na página do Facebook, onde compartilho alguns links para textos e vídeos bacanas.

Obrigado!