Faça a sua parte

Eu tenho um padrão nos meus relacionamentos. Acontece todas as vezes, seja com amigos, peguetes ou namorados. É tão comum que quase nem registro de forma consciente. Se alguém não está agindo no relacionamento comigo como eu gostaria, eu diminuo meu investimento na relação.

Consigo perceber o quanto isso faz sentido: se uma relação não está oferecendo o que procuro, então é melhor deixá-la de lado e abrir espaço para construir novas relações que possam cuidar disso.

O problema é que existe um problema que vem junto. Quando eu diminuo o investimento em uma relação, é provável que a outra pessoa perceba e reaja de acordo, diminuindo também, e assim uma relação é arremessada para a extinção. Se eu quero escapar desse ciclo, preciso fazer a minha parte e sustentar a energia dedicada a uma relação que começou a perder seu rumo.

Isso exige ainda mais energia do que aquela que se entregava antes. É preciso se perguntar se vale a pena esse investimento, porque tempo e energia são recursos escassos. Apenas não esqueça que construir novas relações também custa caro – por mais gostoso que possa ser.

Como de costume, não existe resposta certa.

O que existe é a consciência sobre como decidimos investir nossa energia. Se uma relação da qual você participa está morrendo, você pode fazer sua parte para cuidar disso em vez de abandonar o navio. Se a outra pessoa vai agir também, essa é outra história, uma que não depende de você, mas que pode ser influenciada por você.


Also published on Medium.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *