Curso de escrita criativa com temática queer

Pouca gente sabe, mas quando criei o Ninho de Escritores eu queria juntar um grupo de escritores LGBT. Muito do que o Ninho é já nasceu com ele por conta das necessidades que observei sobre o aprendizado da escrita criativa. É difícil encontrar um curso ou escola que se proponha a ensinar ou colaborar ao mesmo tempo em que acolhe quem escreve.

Mais comum, infelizmente, são os cursos de escrita proibitiva, que gritam com quem erra, que mostram como não se faz, que esbravejam que a criação literária talvez não seja para você.

Uma das necessidades que senti antes de criar o Ninho foi a de existir um grupo dedicado a pensar a escrita da perspectiva de lésbicas, gays, trans, agêneros, travestis etc. Logo no início do blog, tentei abrir espaço para outras pessoas escreverem sobre suas experiências, mas acabei não levando o projeto adiante.

Pelo menos, até hoje.

Curso de Escrita Criativa com Temática Queer

Fechei uma parceria com a Representação do Ministério da Cultura aqui em São Paulo e, de 16 de março a 11 de maio, vou ministrar um curso sobre escrita criativa com temática queer.

O que é uma escrita criativa com temática queer?

Venho estudando a teoria queer desde o mestrado, quando queria estudar personagens homossexuais histórias em quadrinhos (mas acabei estudando professoras de arte e seus entendimentos sobre homossexualidade). Eu achava, na época, que a teoria queer ajudava a compreender as experiências de sujeitos com orientações sexuais diferentes da heterossexualidade.

Eu estava equivocado.

A teoria queer é um convite a compreendermos que as identidades são construções culturais e que nossas ações (incluindo aí a fala, por meio da linguagem) constroem as realidades nas quais vivemos. A teoria queer não olha para o sujeito homossexual e atende suas necessidades; ela questiona o que significa ser homossexual, de onde vem essa noção, quais seus limites e como eles são extrapolados cotidianamente.

O mesmo vale para a heterossexualidade, porque ela também é um conceito inventado e frágil.

Quando proponho um curso de escrita criativa com temática queer, estou lançando mão deste olhar questionador da teoria queer para explorar distintas experiências de identidade de gênero e orientação sexual. Meu objetivo, como proponente do curso, não é ensinar o jeito certo de se escrever sobre algo queer. Não é tampouco definir o que é e o que deixa de ser queer.

Meu objetivo é problematizar, cutucar, questionar, incomodar.

E estou muito, muito feliz que muita gente esteja demonstrando interesse em caminhar comigo nesta aventura esquisita. :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *