O que querem as imobiliárias?

Só quando decidi mudar de Porto Alegre para Goiânia, lá em 2010, é que percebi que achar uma casa para viver poderia ser um problema. Até então estava tudo garantido como o privilégio invisível de quem já nasce com moradia. Até hoje, contei com dois caminhos pra lidar com esse problema nas minhas andanças.

Continue lendo

Quem merece ser ouvido?

Estou lecionando um curso de escrita criativa com temática queer na representação regional do Ministério da Cultura, que fica no bairro Santa Cecília, no centro de São Paulo. A experiência tem sido riquíssima, com textos e visões de mundo incríveis sendo lidas e ouvidas todas as semanas. Tem bixa, tem lésbica, tem galera questionando expectativas […]

Continue lendo

Jogar RPG, criar histórias e improvisar

Eu jogo RPG há quase vinte anos, e com esse tempo veio muita experiência (tempo e experiência não são sinônimos, mas isso é tópico para outro texto). Jogando neste final de semana, passei por uma situação que me exigiu improviso e me ajudou a entender na prática alguns ensinamentos recentes que recebi sobre a arte […]

Continue lendo

Curso de escrita criativa com temática queer

Pouca gente sabe, mas quando criei o Ninho de Escritores eu queria juntar um grupo de escritores LGBT. Muito do que o Ninho é já nasceu com ele por conta das necessidades que observei sobre o aprendizado da escrita criativa. É difícil encontrar um curso ou escola que se proponha a ensinar ou colaborar ao […]

Continue lendo

Como nasce um livro?

Fui convidado a mediar um debate na USP sobre como nasce um livro, dialogando com estudantes de Comunicação a respeito das possibilidades, dificuldades e caminhos para a publicação. Ao meu lado estavam dois caras com trajetórias profissionais muito bacanas: o Gustavo Piqueira e o Pedro Gabriel.

Continue lendo

Uma pedra no lago (ou: a importância de sair de casa)

Eu tinha certeza que havia sido péssimo e que todos haviam me achado ridículo, uma verdadeira fraude. Em junho, quando fui convidado para mediar o evento Como nasce um livro, na ECA-USP, fiquei empolgado e nervoso. Afinal, eu estava entre dois caras com trajetórias de trabalho muito fodas e com experiências bacanudas para compartilhar. Mais […]

Continue lendo

Por que viver é como jogar

Era um sábado cinzento e, pela simples delícia de morar numa cidade com metrô, eu havia decidido que não pegaria ônibus. Esse foi o meu critério para decidir a programação do dia, pois estava entre uma festa de casa nova, um encontro com oficinas do povo empreendedor e uma exposição de caras pelados. Decidi pela […]

Continue lendo