Ser não-violento dá trabalho

Comecei a investir em comunicação não-violenta porque quero participar da construção de um mundo mais próximo do que eu considero ideal para viver. Esse investimento de tempo e energia me convida continuamente a refletir sobre minhas escolhas, responsabilidades, intenções, sentimentos e leituras de mundo.

Continue lendo

Os três princípios da autocompaixão

O livro Autocompaixão: pare de se torturar e deixe a insegurança para trás, de Kristen Neff, me ofereceu três princípios para modular a maneira como ajo e, principalmente, como escolho interpretar o que acontece na vida. Esses princípios dialogam com a prática da comunicação não-violenta, tornando-se parte de um referencial maior e mais coeso para a […]

Continue lendo

Como a CNV olha para a vida

Desde que comecei a estudar e praticar comunicação não-violenta, desconstruí diversas ideias equivocadas sobre o que a CNV é ou não é. Boa parte deles nascem do conceito de não-violência, algo que é difícil de imaginar, especialmente quando vivemos mergulhados em relações que prezam a disputa entre certo e errado, verdadeiro e falso, bom e […]

Continue lendo